Consórcio Intermunicipal de Saúde da região de Videira vira referência e dobra número de municípios consorciados


No próximo dia 5 de fevereiro, o prefeito de Iomerê, Luciano Paganini entrega a gestão do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Alto Vale do Rio do Peixe (CISAMARP), que presidiu nos últimos dois anos. No balanço de sua gestão, Paganini não economiza entusiasmo, já que desde fevereiro de 2016, quando foi eleito para presidir o CIS, o Consórcio dobrou o número de municípios associados, passando de 13 para 26 municípios. Ele explica que em 2010, quando foi criado, o CIS era composto apenas por municípios do Alto Vale do Rio do Peixe como Arroio Trinta, Caçador, Calmon, Fraiburgo, Ibiam, Iomerê, Lebon Régis, Macieira, Matos Costa, Pinheiro Preto, Rio das Antas, Salto Veloso e Videira. Já em 2017 foram consorciados os municípios de Luzerna, Tangará e Timbó Grande e no final desse mesmo ano também foi aprovada a adesão de vários municípios do Meio Oeste como Ibicaré e Erval Velho (que já estão utilizando os serviços), além de Capinzal, Herval D´Oeste, Jaborá, Joaçaba, Lacerdópolis, Ouro, Treze Tílias e Vargem Bonita que estão em fase final para legalizar o consorciamento.

Na prática, a adesão de mais municípios ao Consórcio significa a ampliação da oferta de serviços de saúde, como consultas e exames especializados para os moradores dessas 26 cidades, além de menos custos para as Prefeituras, já que quando o CIS licita os serviços em conjunto aumenta o poder de negociação, economiza na compra em grande escala, agiliza o oferecimento dos serviços e diminui a contribuição que cada cidade tem que dar para manter os trabalhos do Consórcio.

“Hoje o CIS conta com 68 prestadores de serviços entre laboratórios, clínicas e seis hospitais localizados nas cidades de Videira, Joaçaba, Fraiburgo, Caçador, Santa Cecília e Tangará. Caso a Prefeitura quisesse oferecer sozinha todos esses serviços teria que realizar 68 licitações e contratos, enfrentando toda a burocracia desses processos. Por meio do CIS esse trabalho é feito uma vez só para atender todos os municípios consorciados e as Prefeituras apenas repassam o dinheiro para pagar os prestadores”, explica o presidente do CIS, Luciano Paganini.

Para o presidente a experiência cooperativa entre os municípios é um dos modelos mais eficazes para as administrações públicas que muitas vezes sofrem com a morosidade imposta pela burocracia. Paganini destaca que somente em 2017, o Consórcio movimentou R$ 3,8 milhões e a previsão para 2018 é que mais de R$ 5 milhões sejam investidos em serviços de saúde por meio do CIS. “Encerro minha gestão na próxima semana, com a certeza que nossa equipe fez a diferença no CIS e na área de saúde da região. Além de dobrarmos o número de municípios consorciados, adquirimos um carro para a prestação dos serviços e no próximo mês o município de Videira abrirá licitação para a reforma do espaço cedido pelo município para a sede própria do CIS. Isso nos dará mais autonomia e comodidade para atender os gestores de saúde e prefeitos que acreditam que o modelo de consórcio é importante para seus municípios”.



Fonte: Silvia Palma - Assessoria de Imprensa



Consórcio Intermunicipal de Saúde da região de Videira vira referência e dobra número de municípios consorciados

Fonte Imagem: Silvia Palma - Assessoria de Imprensa


Salto News - Todos os direitos reservados - 2018.